segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Aurora

O dia começa
E posso ver no horizonte
O Sol levantando.

Alguns passarinhos despertam
E cantam.

Algumas pessoas despertam
E se espantam.
(Perderam a hora.)

Algumas nuvens trafegam
Nos tons de azul
Como querendo
Fugir da luz.

Mas nisso tudo
Tem algo estranho;
Tem algo amargo.

Alguma tristeza
Também despertou.

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Três haikais

O vento desenha
Sobre o mato abandonado
As ondas do mar.

***

Despenca uma jaca.
O macaquinho se joga
No dorso da mãe.

***

Vísceras de peixe
Arremessadas no mar.
Gaivotas em festa.

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Consegue escutar

Consegue escutar
A triste agonia
De cada segundo
Deixando o presente?;

Os tiros do Tempo,
Em marcha constante,
No meio da testa
De cada momento?;

As horas tombarem,
Sangrando e morrendo,
E nós, dentro delas,
Morrendo também?

domingo, 7 de fevereiro de 2016

está chegando como corte inqui

está chegando como corte inqui
sidora está chegando pela porta
entreaberta dos fundos da memória
um fantasma vestido com cetim
rasgado como sempre há de vir
no limbo de granito destas horas
vem sempre rastejando como co
bra gigante tentando me engolir
com sombras abrasadas pelo san
gue invisível que jorra desta falha
aberta relembrando que não tem
mais nada o que fazer está chegan
do como corte inquisidora está
chegando com a culpa que não tenho

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Uma sombra de lembrança

Uma sombra de lembrança
Acabei de ver
Passar pela memória.

Não sei qual era
(Elas são tantas!)
- Não vi seu rosto.

Mas reconheço muito bem
A tristeza que senti.